Friday, July 20, 2007

Triste


Segunda- feira meus hormonios decidiram que eu queria ir ao Brasil.

"Gravidez longe da minha familia so tem metade da graça", determinei. Liguei para o Joey no trabalho, pedi para ele fazer a reserva e já estava começando a fazer as malas.

O Joey, coitado, sem querer me contrariar estava até me ajudando mas... visivelmente contrariado. "Sozinha? Com o bebe na barriga? Vai que alguma coisa acontece? Sao Paulo é tão perigosa!" E eu dizendo "Que nada, honey! Perigo tem em todo lugar! Há muito exagero na midia. Essa viagem vai me fazer bem... Bla, bla, bla".

Terça- feira, acidente com o avião da TAM perto da casa da minha mãe. Que balde de água fria!

Eu cresci pertinho de Congonhas e foram incontáveis os pesadelos que tive com aquele aeroporto. Sonhei que um avião havia se chocado contra o nosso predio, na frente do predio, atrás do predio ou que havia explodido na frente da nossa janela, dentro do nosso apartamento, na casa da vizinha ...

Olhando as fotos do acidente dessa semana senti um frio enorme na barriga.

As coisas no Brasil parecem acontecer tão aleatoriamente! Buraco na Marginal Pinheiros, avião que cai, shopping que desaba, assalto, tiro, morte...

Amarelei.

Nunca pensei que isso fosse acontecer comigo. Medo de voltar ao Brasil. Podem culpar os hormonios mas essa historia toda mexeu muito comigo e colocou tudo sob uma perspectica diferente. Perspectiva de mãe! Gente, como mãe deve sofrer!!

Mi-se-ri-cor-dia!

Agora sou responsavel pela vida da minha filha. O instinto de protege-la falou mais alto.

Parece beteira mas decidi ficar por aqui.

5 comments:

Bibi Move Scliar said...

ai queila, que horror.
Meu pai também mora ali pertinho, passa pela avenida diariamente já no sspiro final após o transito, qaso chegando em casa.
Me contou que estava fechando o portão quando ouviu a primeira explosao e ainda assistiu o resto da varanda.
que tristesa.
eu também chorei sem parar vendo as notícias.
a acada dia as novas descobertas só pioram tudo...

Thelma said...

Pois é Queila, essa tragédia toda também me deixou com medo, por mim e pelos que amo que estão lá. E indignada e envergonhada pois em uma semana a tragédia será esquecida e o famoso empurra-empurra continuará... Triste mesmo!

Luiz, Dani e Annie said...

Fiquei chocada com o acidente. Depois que somos mães tudo muda, nossa visão, nossas perspectivas, medos aumentam, ficamos mais sensíveis, etc...

Patrícia said...

Queilinha, você está certíssima!! Infelizmente não é seguro vir para o Brasil agora. Dá medo sim, dá desgosto, dá tristeza, dá raiva ver como as coisas acontecem aqui e ninguém tenta aprender com os erros, fazer diferente, ser melhor.
Deve ser difícil ficar longe da família, ainda mais grávida, querendo repartir os momentos felizes e as angústias mas acho que o Canadá é o lugar mais seguro para você e para a nenê neste momento. Adoraria te ver aqui pertinho e compartilhar a sua gravidez mas acho que sua família concorda comigo que nessas horas...preferimos que você fique por aí...sã e salva.
Beijos, Paty

Keiko said...

São Paulo é dureza...eu passei por esse medo também quando estava grávida, depois quando fui a primeira vez com o nene fora da barriga e cada vez que eu penso em ir de novo dá um medinho...mas tem que encarar, pra gravidez ser completa, pra curtição do bebê ser completa...oh dureza, não dá pra ter tudo nunca!