Saturday, December 01, 2007

Despedida


Ontem meu pai voltou ao Brasil e ficamos todos aqui de coração partido.

Por mais que o tempo passe eu não consigo me acostumar com a dor da despedida. Tenho trauma de aeroporto e parece que dizer adeus tem se tornado mais e mais dificil. Pior agora com o agravante da nossa pequena Beatriz. A partir de agora não só os meus pais terão que viver longe de suas filhas mas também de sua unica neta.

São em momentos como esse que a decisão de morar longe do Brasil pesa cruelmente sobre os nossos ombros. Não vou negar que me sinto culpada de privá-los da companhia da Beatriz e de privar a Beatriz da companhia dos seus avós. Mas a gente tem que aprender a viver com as consequencias (as boas e as ruins) de nossas escolhas e tentar fazer uma limonada dos limões que a vida nos traz. Quem sabe agora não teremos uma boa desculpa para ir com mais frequencia ao Brasil?

Só me resta agora agradecer ao meu pai pelos maravilhosos dias que passamos juntos e por todo o amor e o carinho que ele demostrou por mim, pelo Joey e pela nossa Bia.

Prometo contar para ela várias historias desses dias frios de novembro em que ela usufruiu da companhia do vô Milton. Tenho certeza que ela também ja está ansiosa para reencontrá-lo ano que vem.

5 comments:

Anonymous said...

Ola, Queila
Qta novidade! Vc deve estar nas nuvens c essa menina linda q Deus te presenteou!
Aproveite
bjs
Luciana

Re e Li said...

Queila, sei bem como é esse lance de despedida!
Moro no Rj, sou de SP, na "fila" da imigração, com uma filha de 5 meses.
Sò Deus sabe o que sofri e a culpa que sinto por privar minha família do convívio com a Olívia, Isso porque moro a 400km de minha família. Como vc disse: a cada dia temos que aprender a fazer limonada com os limões da vida!
Que Deus nos ensine como...
Parabéns pela Bia!

Isabela said...

Oi, Queila!

Deve ser difícil mesmo se despedir do seu pai agora que vc tem a Beatriz.
O meu bb vai ser o primeiro netinho de ambas as famílias, e ambas as famílias estão no Brasil. Ele não vai ter nenhum parente por perto. :-(
Mas fazer o q, né? (ir mais pro Brasil, como vc mesmo sugeriu...rsrsrs)

Bjs,

Isabela.

Keiko said...

Isso é dureza...
Minha mãe (que agora mora nos EUA mas que mesmo assim eu só vou vê-la no Natal) me liga todo dia pergutnando quando eu vou levar o netinho....

Tá linda sua princesinha, espero que não esteja congelando aqui nesse freezer!!

beijinho,
Keiko

Luiz, Dani e Annie said...

Oi Q,
Sei como vc se sente, pois penso o mesmo...a pior coisa de estar aqui é a saudade e distância da familia.
Bjos,
Dani